Cuidadores de idosos aprimoram conhecimentos no Abrigo do Bom Jesus

Os cuidadores e colaboradores da Fundação Abrigo do Bom Jesus participaram, esta semana, de uma palestra com o administrador Tharley de Barros Teixeira, que tem MBA em gestão de marketing. Ele pontuou os principais desafios que, no dia a dia, os cuidadores e demais colaboradores enfrentam no acolhimento aos idosos, e dialogou com a equipe sobre a responsabilidades no ambiente de trabalho.

Criada em 1940, a Fundação Abrigo do Bom Jesus é uma das mais antigas entidades filantrópicas do Estado, e tem a gestão de uma Diretoria Executiva e de um Conselho Deliberativo formado por 19 voluntários. 

De acordo com o profissional, o cumprimento de deveres, obrigações ou tomadas de decisões são meros conceitos formais de responsabilidade. Para ele, em vez de reagir aos acontecimentos, é preciso que o colaborador tome a iniciativa e faça as coisas acontecerem.

Falando numa roda de conversa com cuidadores, técnicos de enfermagens, enfermeiros, auxiliares administrativos, assistentes sociais e outros funcionários do Abrigo do Bom Jesus, Tharley Teixeira enfatizou a necessidade da proatividade como importante diferencial. Segundo ele, um funcionário proativo é aquele que está sempre buscando antecipar problemas e encontrar soluções, antes que eles aconteçam, o que pode gerar um grande impacto na produtividade da equipe e na eficiência da instituição como um todo. 

Com referencia à produtividade, Tharley Teixeira lembrou a todos que proatividade é complemento para a produtividade. Exemplificando, o palestrante ilustrou que o número de tarefas realizadas diariamente, como dar banho no idoso ou colaborar nas refeições, enumera quesitos de produtividade. “Assim como a redução de ocorrências negativas como quedas, lesões ou acidentes domésticos. Isso pode indicar que o colaborador está tomando as medidas adequadas para prevenir essas situações e garantir a segurança dos idosos”.

Indagado pelo gestor administrativo da Fundação Abrigo do Bom Jesus, Emerson Cassio, quanto à participação dos colaboradores em treinamentos, o administrador Tharley Teixeira afirmou que a busca pela qualificação indica a capacidade e o desejo de aprimorar suas habilidades e conhecimentos, bem como sua dedicação em oferecer o melhor cuidado possível aos idosos.

E sinalizou a todos a necessidade de darem resposta aos estímulos como uma maneira de avalia-los. “O feedback – de colegas e dos próprios gestores – ajuda a identificar áreas de melhoria e fornecer orientações para aprimorar o trabalho de todos.

Tharley Teixeira finalizou sua exposição apontando que é preciso ter comprometimento e flexibilidade para ajustar-se às necessidades que podem mudar todos os dias, e exercer o bem que o trabalho de cada um produz na vida dos 80 idosos ali acolhidos.